The Babbel Blog

language learning in the digital age

Como se tornar um especialista em idiomas na Babbel?

Posted on August 9, 2017 by

Especialista em idiomas na Babbel

 

Christina (segundo a partir da direita) trabalha no departamento de Didática da Babbel há três anos. Nele, ela lidera uma equipe de especialistas em idiomas responsável por produzir e coordenar os conceitos e conteúdos dos cursos. Além disso, essa equipe também desenvolve novas ideias para os aplicativos da Babbel. Recentemente, ela fez uma apresentação a estudantes universitários sobre as oportunidades profissionais para especialistas em idiomas. Então, nós aproveitamos essa oportunidade para fazer algumas perguntas.

 

Christina, como é possível se tornar um especialista em idiomas na Babbel?

Isso não é fácil de responder! Não existe um caminho perfeito. Ao contrário, a coisa mais especial da Babbel é, realmente, nossa equipe extensa e diversificada de especialistas em línguas. Temos algo muito importante em comum: nossa paixão por idiomas. Quem vem ao nosso escritório percebe rapidamente que trocamos de idiomas o tempo todo. Além disso, todos nós trazemos competências e qualificações bem diferentes para a equipe. Aqui você encontra linguistas, tradutores, educadores, redatores, autores, gerentes de projetos e, é claro, professores de idiomas. Para resumir: a diversidade faz a força, ela é nossa grande vantagem! Juntos, adaptamos nossos cursos às necessidades dos usuários e definimos o conteúdo certo para cada combinação de idiomas que a Babbel oferece.

E o que você trouxe para a equipe?

Um pouco de tudo. Na minha formação em Estudos Escandinavos, por exemplo, aprendi muito sobre as línguas escandinavas e suas peculiaridades. Isso me ajuda muito até hoje! Considero, por exemplo, as dificuldades específicas que um falante nativo de alemão pode ter ao aprender sueco. Isso influencia diretamente o conteúdo e a apresentação do curso. Ao mesmo tempo, conheço as similaridades entre ambos os idiomas. Posso mostrar ao usuário o que ele aprende de graça, por assim dizer, e sem esforço em sueco: a sintaxe sueca, por exemplo, é muito parecida com a alemã, da mesma forma que algumas palavras, como Haus e hus, são praticamente iguais e, por isso, fáceis de entender desde o começo. Isso pode ser bastante motivador!

Então, a língua materna do usuário é muito importante para a escolha do conteúdo dos cursos?

Sim, mas mais importante é a ligação direta com o cotidiano do usuário. Eu vivenciei isso claramente pela primeira vez quando, junto com meus estudos bastante teóricos, dei aulas presenciais e online e fiz uma formação contínua na área. Foi um prazer desde o primeiro segundo! Conheci muitas pessoas interessantes, que aprendem sueco com objetivos e por razões diferentes. O entusiasmo dessas pessoas, seu interesse pelo idioma e seus avanços sempre me motivaram a ajudá-las a enfrentar os desafios pelos quais todas passavam no seu processo pessoal de aprendizagem. Com isso, descobri como é fundamental escolher corretamente o conteúdo, as técnicas de estudo e o ambiente de aprendizagem. Uma boa preparação dos materiais, que leva o usuário em conta, pavimenta o caminho para uma aprendizagem bem-sucedida – e o sucesso é muito importante.

Sempre volto a perceber isso na minha função de examinadora no teste de proficiência de sueco Swedex. Não importa se eles precisam do idioma para o trabalho, para as férias ou para conversar com o vizinho, muitos estudantes enfrentam o desafio não apenas por causa de uma necessidade linguística, mas porque querem comprovar sua competência no idioma. Por isso, aliás, oferecemos na Babbel um certificado de inglês em parceria com o Cambridge English. Ao mesmo, como examinadora, estou ocupada com diversas questões: o que é realmente uma aprendizagem bem-sucedida, como ela pode ser sentida e, principalmente, como é possível mensurá-la em todas as suas diferentes facetas. As experiências que pude reunir, e ainda reúno, como estudante de idiomas e examinadora influenciam meu trabalho na Babbel até hoje.

Antes de entrar na Babbel, você também trabalhou muito com livros. Faz diferença desenvolver conteúdo para livros e para aplicativos?

Boa pergunta! Tentarei respondê-la a partir de uma perspectiva conteudista: basicamente, como especialista em aprendizagem, faço sempre as mesmas perguntas, como: quem são meus alunos? Quais temas são relevantes para eles? Quais objetivos eles querem alcançar?

As soluções é que são diferentes de acordo com o meio. Um livro pode ter um capítulo um pouco mais longo, mas em um aplicativo, ele sempre precisa ser curto e ir direto ao ponto. E, é claro, em um aplicativo as atividades são naturalmente muito interativas, já um livro não pode dar um feedback direto, nem reagir às minhas respostas. Sempre tenho essas diferenças em mente ao desenvolver conceitos e conteúdos.

Também os processos de produção são distintos. Só para dar alguns exemplos da minha rotina de trabalho: quando trabalho no conteúdo de um livro, tenho que exercitar meu poder de imaginação para visualizar como gostaria de diagramar as páginas. Porém, apenas quando a página retorna da diagramação, posso verificar se todas as figuras, exercícios e textos, de fato, cabem nela e se a sequência desses elementos parece lógica.

Com o aplicativo da Babbel, temos um grande luxo: a pré-visualização. Isso significa que logo após criar conteúdos na nossa ferramenta autoral, desenvolvida aqui na Babbel, podemos checar na pré-visualização se tudo cabe corretamente. Assim economizamos tempo, nos tornamos extremamente flexíveis e somos capazes de experimentar. Temos até uma equipe dedicada à garantia de qualidade dos nossos conteúdos, que trabalha constantemente em melhorias.

Ah, sim, a publicação de um livro demora um pouco mais, obviamente. É mesmo muito legal ter em mãos um exemplar fresquinho da gráfica, mas no aplicativo podemos publicar os conteúdos com o toque de um botão. Nossos usuários têm acesso direto!

Em que você está trabalhando agora? Qual é sua principal motivação no projeto atual?

No momento, lidero uma equipe incrível de especialistas em idiomas que produz e coordena conceitos e conteúdos para os cursos de dinamarquês, russo e sueco para o próximo lançamento. A partir dos comentários dos nossos usuários que o departamento de atendimento ao cliente nos envia, estendemos os materiais de alguns idiomas a níveis superiores. Além disso, a equipe está trabalhando com a maior dedicação em novos cursos com um tema específico. Mas o tema será uma surpresa!

Aliás, tudo isso é muito motivante para mim: a liberdade que tenho aqui, nossa equipe incrível, os desafios que resultam de atividades e projetos novos e variados – e o aprendizado diário. É sempre muito interessante! Agora trabalhamos na próxima geração de projetos, em que queremos apresentar o aprendizado de idiomas de uma forma ainda mais atraente. A ideia é que os usuários possam começar a aprender sua língua-alvo assim que precisarem.

Leave a Reply