The Babbel Blog

language learning in the digital age

Retrato: Daniela em Bruxelas

Posted on dezembro 17, 2014 by

Daniela em BruxelasOs Retratos de usuários da Babbel são histórias extraídas da vida de pessoas do mundo inteiro. Se você quiser nos contar sua história, basta escrever um comentário abaixo. Este mês, nós falamos com a Daniela Schaller, que mora há alguns meses com seu marido e seu filho pequeno em Bruxelas, e que aprendeu holandês na Babbel em um piscar de olhos.

 
Eu comecei a aprender holandês na Babbel em maio de 2013. Na época, eu não fazia ideia de que um dia, eu viveria na Bélgica. Eu, simplesmente, sempre achei o idioma interessante. E o casamento de uma amiga com um holandês foi o pontapé inicial para os meus estudos. Eu queria aprender um pouco de holandês para poder conversar pelo menos um pouquinho com o noivo e com os convidados holandeses.
Foi uma ótima coincidência quando meu marido recebeu a proposta de emprego no Parlamento Europeu de Bruxelas.
Quando eu cheguei em Bruxelas, eu quis me matricular no curso para iniciantes A1 ou A2. Mas quando eu fiz o teste de nivelamento em um curso de idiomas, eles me classificaram como B1 ou até mesmo B2, ou seja, nível avançado. E eu tinha estudado só na Babbel. Aqui em Bruxelas tem um monte de cursos de holandês para iniciantes, mas infelizmente quase não tem curso para o nível avançado. Pelo menos não, que eu possa fazer sem problemas de horário, já que eu tenho um filho pequeno que tenho que buscar no jardim de infância diariamente. Por isso, eu simplesmente continuo estudando com a Babbel.
O que me agrada muito na Babbel é exatamente isso: poder integrar os estudos ao meu diaadia. Quando nós ainda morávamos em Potsdam (cidade próxima a Berlim), eu sempre estudava no trem a caminho do meu trabalho em Berlim. Mas eu também gosto de sentar e estudar uma meia horinha em casa, enquanto meu filho Nikolai brinca ou dorme.
Aliás, o Nikolai está aprendendo francês na escolinha. Em Bruxelas, se fala principalmente francêse raramente holandês. Por isso, pouco antes da mudança, eu comecei a avivar meu francês da época de escola com a Babbel. Isso realmente me ajuda muito porque eu tenho que falar francês diariamente aqui: desde o início, na procura por um apartamento em Bruxelas, até na hora de fazer compras, durante os trâmites nas repartições públicas ou como agora, no pediatra. Mas o inglês também é sempre falado, por exemplo, quando se trata de formulários de inscrição, ou quando a professora do meu filho percebe que o francês dela está rápido demais para mim.
Meu marido está começando agora a aprender francês no trabalho, apesar do alemão também ser muito falado lá. Provavelmente, o Nikolai vai falar francês antes do pai! Na escola, ele já fala “Maman” para mim e já sabe contar até treze. Ele também já começou a aprender muitas expressões com as outras crianças. Ele sempre fala: “Pois é, as outras crianças, elas todas falam uma língua esquisita.”
 
Se você quiser nos contar sua história, basta escrever um comentário abaixo!
– Traduzido do alemão por Gracielle Farah