The Babbel Blog

language learning in the digital age

Retrato do usuário: Aldo de Trieste

Posted on November 26, 2014 by

Retrato do usuário: Aldo de Trieste

Nós estamos lançando uma série de retratos de usuários da Babbel de diferentes lugares do mundo. Se você quiser dividir a sua história conosco, por favor, deixe um comentário abaixo. Este mês falamos com Aldo, um aposentado de 70 anos originário da Itália que tem energia para dar e vender, além de muita motivação para diversas atividades. Canoagem pela manhã, partidas de xadrez à tarde e agora um novo objetivo: aprender inglês.

 

Eu nasci de Gorizia, mas eu vivo em Trieste, para onde eu e minha mulher nos mudamos por causa do meu emprego. Depois de 35 anos trabalhando, estou agora aposentado mas, de maneira alguma, entendiado.

Meu dia começa às 6:00h, quando eu faço canoagem para me manter em forma. Aproximadamente um ano atrás eu comecei a jogar xadrez. Eu ainda não sou muito bom, mas eu gosto de participar das partidas que acontecem à tarde.

Tenho dois filhos, Federica, que vive e trabalha em Trieste e Luca que vive e trabalha em Londres. Foi por causa do meu filho que decidi aprender inglês – eu queria poder me comunicar com as pessoas quando o visitasse na Inglaterra.

Para falar a verdade, eu fiz isso por mim mesmo. Sei que, de certa forma, é mais difícil aprender coisas na minha idade – o cérebro já não é tão elástico.  E foi exatamente por isso que fiquei muito feliz quando percebi que estava, realmente, aprendendo novas palavras e começando a formar frases. Eu percebi que estava progredindo, aprendendo e isso me deu uma satisfação incrível.

Mas não me entenda mal, eu não tenho a pretensão de me tornar bilíngue! Ficarei feliz se conseguir falar algo, se conseguir descrever um dia típico na minha vida [e ele muda para o inglês]: My name is Aldo, I was born in 1944 in Gorizia, near Trieste. I wake up at six and I go canoeing (Meu nome é Aldo, eu nasci em 1944 em Gorizia, perto de Trieste. Eu acordo às seis e vou praticar canoagem).

É claro que não é a mesma coisa todos os dias. Eu tenho meus altos e baixos, mas quando deixo de praticar inglês por um dia, me sinto mal comigo mesmo. Nãoque eu tenha a sensação de estar cumprindo uma obrigação, pois… eu somente faço isso quando e se estou me sentindo bem. Felizmente não tenho que bater cartão! (risos)

Um tempo atrás, eu percebi uma coisa: se faço os meus exercícios de inglês pela manhã, além de algumas lições da Babbel e vou para os meus jogos de xadrez no período da tarde, tenho a impressão de jogar melhor. Tenho a sensação de que minha mente fica mais alerta, como se tivesse sido ligada, e me sinto mais preparado para lidar com as partidas e as jogadas.

Além disso, eu acho que os cursos da Babbel são realmente muito bem feitos. Há uma grande variedade de tópicos e exercícios – vocabulário, exercícios de gramática, diálogos para viagem, além de palavras e frases. Você pode encontrar praticamente qualquer coisa. A única coisa que me faz falta é ter alguém para falar, um parceiro de idiomas no meu nível de de conhecimento com quem eu possa praticar.

Apesar disso, posso dizer que estou muito feliz e que me mantenho ocupado durante o dia todo. E isso deixa uma outra pessoa mais feliz ainda: minha esposa! Depois de quarenta anos de casados, você não sabe como ela fica feliz em não me ter em casa o dia inteiro!

 

Você gostou da história do Aldo? Você quer nos contar a sua? Deixe um comentário abaixo e nos conte porque você decidiu aprender um novo idioma!

 

Comments

Interessante e encorajadora a história do Aldo. na verdade eu nao estou conseguindo superar a vergonha de errar, o ingles. Faz-me muita falta este idioma a julgar pela minha ocupaçao profissional.

Sou brasileira tenho 65 anos, ainda trabalho,moro em Curitiba Pr. Não tive muitas oportunidades de estudo. Sou auto didata, faço o curso de alemão da Babbel tenho facilidade em aprender idiomas cada minutinho livre estou com celular conectado na Babbel

Ok.
Olá.

Meu nome Flávio, então vamos lá.

Eu quero aprender não importa qual sejá a linguá eu estou pronto.

Legal, Tchauuu.!!!

O pouco que lí do sr aldo gostei. Notei que que ele tem não só muita vontade de ocupar bem o tempo que de dispõe mas sobretudo uma forte determinação de aprender o inglês.
Eu também tenho muita vontade de aprender o inglês mas como ainda trabalho não é muito fácil. sou angolano, vivo e trabalho em Luanda. Mas para além de algumas dificuldades em ter permanentemente o sinal da internet, gostaria de saber de saber se é possível pagar o curso não necessariamente com cartão de crédito (visa ), ou seja, por transferência bancária ou outra via.

‘m from Guinea-Bissau on the west coast of Africa want apredender English language in order to be dynamic but in term of communication with internal and external friends.
But with the lack of possibility and means the person around who do not know. But the knowlege comes to learn.

Gostei da historia do Aldo e gostaria praticar o meu Inglês, porém não tenho as condições financeiras e o tempo disponível que tem o amigo Aldo. Ainda trabalho e bastante, para poder pagar as faturas que recebo todo o mês. Vivo no Brasil, e o governo brasileiro não oferece nenhuma condição para a nossa saúde, temos que contratar um plano de empresa privada, e essa despesa é muito alta, já o Aldo, tem seu plano de saúde sem custo nenhum do governo italiano. .

Leave a Reply