The Babbel Blog

language learning in the digital age

Retratos de usuários: Michèle e André, aposentados muito ocupados

Posted on janeiro 30, 2015 by

Retratos de usuários
Nós estamos lançando uma série de retratos de usuários da Babbel de vários lugares do mundo – uma foto instantânea de suas vidas, a razão pela qual decidiram aprender um idioma novo. Se você quer compartilhar sua história conosco, escreva-nos um comentário. Este mês, entrevistamos a Michèle de Caen na França e o André do Quebeque. Michèle e André não se conhecem, mas têm muitas coisas em comum. Os dois têm 65 anos e se aposentaram recentemente. Os dois adoram viajar. Eles estão aprendendo espanhol com a Babbel para aproveitar ao  máximo suas viagens pelo mundo.

“Desde que me aposentei, eu não parei!” diz Michèle, recém-aposentada da região de Caen na França. Como muitos aposentados, ela estava sobrecarregada e precisou se organizar bem para encaixar a Babbel em sua agenda apertada. Michèle tem muitos projetos. Ela adora viajar e voltou encantada de sua última viagem ao Peru, onde descobriu que ela não se comunicava tão mal com as pessoas do lugar: “Comecei do zero com o espanhol e nesta viagem, me dei conta de que tinha feito grandes progressos depois de estudar 5 meses com a Babbel”.
Viajar é uma de suas maiores paixões, mas ela não está sozinha. Desde os anos setenta, aposentados vêm cada vez mais ganhando o mundo, sendo o grupo de maiores de 60, o que mais viaja e por um tempo mais longo.
Nosso elegante sexagenário, André, do Quebeque, aposentou-se recentemente do mundo das finanças. Ele também decidiu desfrutar ao máximo seu tempo livre e tirar um ano inteiro de férias: “Agora que estou aposentado, passo parte do inverno na Flórida e viajo muito com minha companheira. É o que me motiva a continuar aprendendo idiomas. Dominar diferentes idiomas tornou-se algo muito importante para nossos planos de viagens”.
Michèle também sabe da importância dos idiomas para viajar. Grande apreciadora da América Latina, ela não conseguia imaginar chegar ao Peru sem saber pelo menos um pouco do idioma: “É muito mais prazeroso visitar um país, sabendo comunicar-se, perguntar por caminhos ou interagir em um nível básico com os moradores. Depois de estudar 5 meses com a Babbel, eu ainda não podia participar de conversas filosóficas em espanhol, mas eu já era capaz de me virar muito bem no hotel ou na rua. Eu conseguia ler as placas, encontrar meu caminho e comunicar-me com as pessoas do lugar. Eu definitivamente, não estava perdida e isso me ajudou muito na comunicação diária”.
Nós já sabemos:a idade não é empecilho para aprender idiomas novos e a aposentadoria, mais do que nunca, é a melhor época para aprender algo novo. Além disso, 31% dos trabalhadores americanos pretendem traçar um novo desafio na aposentadoria e, quase 12% deles desejam dedicar-se a alguma atividade educativa.
Para muitos de nós, a aposentadoria é a época de realizar os sonhos, de fazer tudo o sempre quisemos e adiamos por falta de tempo. “Há muitos anos, eu fiz aulas de espanhol, o suficiente para viajar pelo México e pela América Latina, mas não o suficiente para comunicar-me de verdade. Então, eu sempre pensei em retomar isso.”, explica André.
É como se diz “a sabedoria vem com a idade” e Michèle e André descobriram, sem dúvida, o segredo da aprendizagem de idiomas: a perseverança. Sentada comodamente em seu  sofá, Michèle estuda “um pouquinho todos os dias com seu tablet ou laptop”. Já André vem estudando “pelo menos 20 minutos por dia, 5 dias na semana há mais de um ano” e está convencido de que alcançará seu objetivo: “Eu tenho certeza de que  é realmente possível  falar diferentes idiomas depois de alguns anos”, ele explica.
Do mesmo modo, Michèle também não pretende parar tão cedo. Ela já está pensando em suas próximas viagens: “Eu quero ir à Espanha este ano e depois, à América Latina de novo, razão suficiente para não desistir!
 
Se, como Michèle e André, você quiser  compartilhar sua história conosco, basta deixar um comentário abaixo!