The Babbel Blog

language learning in the digital age

Tiques de linguagem e interjeições: Andando sobre pedras rumo à fluência

Posted on dezembro 8, 2017 by

No texto a seguir, Megan analisa algumas das dificuldades no aprendizado dos tiques de linguagem e das interjeições de vários idiomas e explica por que a imersão em diálogos reais é essencial quando pretendemos dominar uma língua.

 
Réfugiés
Apesar de serem cruciais para qualquer idioma, os tiques de linguagem e as interjeições costumam ser deixados de lado quando estamos aprendendo uma nova língua. Saber o momento certo de utilizar um “hmmm…”, um “ops” ou um “oba” — cada qual com suas diversas nuances de significado — faz com que você deixe de parecer um turista confuso e passe a ser visto como um falante esperto.
Mas como é que a gente aprende esses tiques de linguagem e interjeições? Simples: conversando com falantes nativos! Quando passamos a manter diálogos reais, entramos em contato com elementos pragmáticos naturais de uma língua que não aparecem em materiais didáticos tradicionais. Entre esses elementos estão os coloquialismos, as piadas e as entonações enfáticas existentes em qualquer idioma.
(mais…)

Como aprendemos idiomas: O método audiolingual

Posted on outubro 8, 2014 by

método audiolingualMinha avó aprendeu francês na escola, na Austrália, no final dos anos 50. Durante anos ela estudou o idioma dedicadamente e a única frase da qual ela se lembra até hoje é:
La plume de ma tante est dans le jardin avec le lion.
Para aqueles que nunca tiveram o prazer ou a dor de aprender francês, a frase deve ser traduzida da seguinte forma: ‘A caneta da minha tia está no jardim com o leão’. Com esse tipo de frase ficava bem difícil iniciar uma conversa casual e dizer, ao menos, o mínimo necessário. (mais…)

Por que gramática (e brócolis) são bons para você

Posted on Maio 27, 2014 by

gramáticaNeste mês, a Babbel se concentorou na gramática e está publicando uma série de cursos bons para a saúde. Há também novos cursos de pronúncia, cursos de aprofundamento de italiano e „falsos amigos“.
 
Pobre brocólis, tão desprezado no mundo culinário. Apesar de ser extremamente bom para a sua saúde e, até mesmo, ser a comida preferida do presidente Obama, o brocólis é ainda insultado pelas crianças do mundo todo – e também por alguns adultos.
Mais ou menos como a gramática. Anos sendo forçados a conjugar verbos ou sendo massacrados com livros do tamanho de listas telefônicas e os eternos „decorebas“, deixaram marcas profundas que nos fazem nos perguntar, até hoje, se tudo isso vale a pena.
Mas a gramática não é um bicho de sete cabeças e não precisa nos intimidar. O truque é aprender da maneira correta.
(mais…)